A viagem (parte 5)

Vou resumir rapidamente toda a chegada à Miami com as crianças porque senão nunca vamos chegar à Disney, não é mesmo?

Então o que aconteceu naquele domingo: 

1 Aterrissamos em Miami, e o carrinho de bebê não está disponível na saída do avião. Lea vai ter de ir no colo  o caminho todo até a esteira de bagagem. A fila da imigração está enorme, é claro, mas tudo bem porque já é um preparo psicológico para o que vamos enfrentar na Disney. 

2 Toda as malas chegaram direitinho – é motivo de celebrar ou não??! Claro! 

3 Pegar o carro alugado é MUITO LEGAL! (lógco, tirando a parte da fila, burocracias e documentações com três crianças a tiracolo) Mas agora temos um carro novo pra chamar de nosso por uma semana!! 

4 Deixo uma mala na casa da minha amiga em Miami – afinal vamos voltar na sexta feira de Orlando para passar 2 dias com ela antes de regressar ao Brasil. Já trouxe as malas de SP pensando nisso. 

5 Almoçamos e lá vamos nós! A estrada para Orlando saindo de Miami é uma reta só. Simon e Stella estão super companheiros, a única que fica um pouco irritada é a Lea, que sempre detestou a cadeirinha. 

E então, depois de longas horas… Chegamos! Estamos na Disney!!! Ou melhor, em Orlando. Chegar em Orlando é uma sensação. Outdoors com chamadas para os parques nos aguardam dos lados da estrada, encantando até os mais carrancudos dos adultos. Mickey esperam você! Que tal passar um lindo dia com a sua família? Venha conhecer a nova montanha russa! 

Dá vontade de mandar uma carta a eles dizendo; queridos, nós atravessamos a América, cruzamos o oceano, ficamos a não sei quantos mil pés do chão, estamos a quilômetros de casa, só para ver vocês. Não precisam mais gastar verba com todo esse marketing desnecessário. Já estamos aqui. 

Fico me perguntando se alguém chega em Orlando, vê o outdoor e diz “Querida, olha só que ideia boa! Vamos para a Disney?” 

De repente os dois começam a berrar do banco de trás:

E então eu entendo o motivo de ele estar lá. 

É apenas um outdoor. Mas o seu efeito é magnífico, as crianças entram em êxtase. E se eles estão em êxtase, eu estou em êxtase. 

Vai ser demais.

6 Chegamos no hotel (finalmente!! Vou dormir!!) e a recepcionista é gentil e animada. Ela fala conosco como se tivéssemos feito a MELHOR ESCOLHA DA VIDA ao decidirmos ir à Disney. 

As crianças perguntam eufóricas para ela “MOÇA CADÊ A DISNEY?” Enquanto olham para todos os lados da recepção, imaginando que alguma daquelas portas daria finalmente no parque. 

Coitados, estamos viajando há quase 24 horas e ainda não chegamos lá. 

Explico que o parque fica a dez minutos de carro, e que primeiro vamos descansar um pouco para termos força de ir amanhã. 

Eles ficam um pouco decepcionados, mas passa logo. Crianças são incríveis: sua capacidade de passar da decepção para o êxtase puro é impressionante. 

7 Chegar ao quarto é outra sensação. Eles correm de um lado para o outro embasbacados, dizendo: 

Em resumo: tem tudo o que temos em casa.

Mas tudo o que temos em casa parece mágico quando trata-se de um hotel. E não é nenhum hotel de luxo, não. É um apartamento num “resort” que parece ter sido uma sensação nos anos 1990 mas agora só está meio mal cuidado mesmo. 

Tiro a Lea do carrinho e deixo ela engatinhar um pouco enquanto arrumo as roupas. Ela vê os irmãos excitados e dá gritinhos de alegria.

É hora do jantar dela, então esquento a comida no microondas e vou dando enquanto organizo tudo.

8 Desfaço as malas, organizo todas as roupas, passo no mercado, dou banho e janta em todo mundo e finalmente, FINALMENTE! É hora de dormir. 

Eles estão empolgados, mas exaustos. 

Nosso quarto de hotel é um apto com 3 dormitórios, uma pequena cozinha americana, uma mesa de jantar e uma sala de tv. Afinal, somos 2 adultos e 6 crianças. A ideia era dividir as crianças pelos quartos, mas nenhum dos três quer desgrudar de mim, então dormimos nós quatro juntinhos no quarto maior, e minha amiga fica com os dois quartos menores. 

9 Enquanto canto para as crianças dormirem, organizo as roupas sujas e os últimos detalhes. Como você sabe, a mãe é sempre a última a dormir.  Em poucos instantes o quarto fica em silêncio absoluto. 

10 Por fim, deito. 

Sinto meu corpo relaxar na cama depois de uma noite sentada meio quebrada no avião e 3 horas de estrada. Escuto a respiração tranquila e rítmica das crianças ao meu redor. Que gostoso estarmos juntos! 

Fecho os olhos e em segundos o sono vem…

One thought on “A viagem (parte 5)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s