Fui ver e a “madurinha” era eu

-E botox, Debora?
-O que que tem?
-Você não quer colocar?
Era uma consulta de rotina e sou pega de surpresa com a pergunta. Ou seria um convite? “Botox?” É como “Envelhecendo?”
Sinto um calafrio.
Sei que é uma pergunta simples. Uma pessoa oferecendo um serviço a outra. Afinal, já estou no consultório mesmo! Como quando vou a feira comprar maçãs e o vendedor pergunta: vai querer peras também? Estão madurinhas!
Mas no caso, a madurinha era eu.

Nada contra botox. Se eu sentir vontade de colocar um dia, colocarei. Viva as maravilhas da medicina! Forever young, é o que diz o hino da juventude.
Mas confesso, a pergunta me assustou. Não foi como as crianças dizendo “nossa mãe, 30? Que velha!” Afinal, eles não sabem muito sobre envelhecer. Mas minha dermato? Ah, a dermato sabe.

-Então… você acha que precisa? – pergunto, incerta.
-Você pode fazer aplicações aqui, e um pouco na testa…
Ela me dá um espelho. Uma Débora cansada me olha de volta. Oh, céus.
-você acha que precisa? – pergunto de novo, desejando que ela diga “imagina Débora, você tá SUPER jovem. Fica tranquila, vai tomar um sorvete”
Mas ela diz:
-Qual sua idade?
-32.
-E você nunca colocou?
-Não.
Na minha concepção, o botox era uma coisa para um futuro distante. Sabe? Para além do horizonte. Como artrite, tricô e hidroginástica.

Mas, bom, tenho lidado com problemas no joelho, e hidroginástica é o esporte indicado. E o tricô? Nunca esteve tão na moda!

Talvez eu já tenha atravessado a linha do horizonte e nem me dei conta. Talvez a gente atravesse a cada dia. Talvez a linha do horizonte seja imaginária. Talvez importar-se com ela seja uma decisão. Assim como com as linhas do rosto. A gente que decide como vai enxerga-las no espelho da médica.

Olho de novo para elas. São tão delicadas. Um pouquinho de mim.

Se estou envelhecendo? Todos estamos. Se você me lê, você está envelhecendo. Graças a D’us! Envelhecer significa estar viva.
– Obrigada dra, quem sabe na próxima? Por enquanto vou ficar no creme.
Saio do consultório sem botox, mas consciente de uma nova dimensão de mim.


Que venham as linhas! Do horizonte. De expressão.
E que eu me sinta livre pra decidir se quero fazer algo sobre elas ou não…

2 thoughts on “Fui ver e a “madurinha” era eu

  1. Botox ?

    Você ?

    Linda e jovem deste jeito.

    Jamais

    Troca de dermato

    De: Filhos em Quadrinhos Enviada em: segunda-feira, 7 de fevereiro de 2022 06:35 Para: mauricio@microdont.com.br Assunto: [New post] Fui ver e a “madurinha” era eu

    Debora posted: ” -E botox, Debora? -O que que tem? -Você não quer colocar? Era uma consulta de rotina e sou pega de surpresa com a pergunta. Ou seria um convite? “Botox?” É como “Envelhecendo?” Sinto um calafrio. Sei que é uma pergunta simples. Uma pessoa oferecendo “

  2. Bonito…. Estilo “bonito-pra-ler-mas-ia-matar-se-fosse-comigo”… hahahaha Minha dentista (!) Foi fazer curso p fazer botox e me ofereceu, mas qnd flei q tinha 33 ela foi mais esperta e flou q “da p esprlerar mais uns dois anos”… eh p rir ou p chorar?! 😝🤣😂😬😳😭😖👵👵

Leave a Reply to Esther Cohen Cancel reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s