0

A ida ao primeiro dia no berçário

Segunda feira passada foi o primeiro dia da minha filha no berçário.

O mais animado com a novidade era o meu filho. Quando eu contei pra ele que a irmãzinha teria o seu primeiro dia de aula, ele veio correndo todo orgulhoso trazendo sua mochila antiga do Barney (porque esse ano ele ganhou uma nova de presente da avó).

FILHO: Vou emprestar a mochilinha do Barney pra ela, tá bom mãe?

A mochila é praticamente do tamanho dela. Mas ela não se importou muito com isso.

bercario2

Preparamos a mochila com a troca de roupa, escova de dentes, casaco, copo de suco, fraldas… Meu filho também quis ajudar, ele trouxe vários de seus brinquedos favoritos, afinal, “ela pode ficar com vontade de brincar de lego” ou para o caso de “ela ficar com vontade de pôr a máscara do batman”.

Ele estava realmente empolgado.

Bom, o esperado dia chegou. Descemos até o carro. Eu, as duas mochilas de rodinhas, minha bolsa, e as duas crianças, cada uma com seu potinho de sucrilhos. Uma cena que seria trágica se não fosse cômica (mas isso é assunto pra outro post…)

Prendi um na cadeirinha, prendi o outro na cadeirinha, coloquei as mochilas no banco do carona, e lá fomos nós.

EU: Filho, a sua irmã nunca foi na escola. Vai ser o primeiro dia dela. Você não quer dar umas dicas, explicar um pouco como funciona…?

Eu estava esperando que ele contasse um pouco sobre o dia a dia dele na escola. Sei lá, que falasse para ela que ela iria brincar, iria pintar, conhecer amiguinhos novos, cantar, aprender várias coisas diferentes…

Mas eis o que ele diz:

bercario 1

Hm.. não era bem o que eu esperava, mas… ok. É justo. Ela vai realmente tomar lanche e almoçar por lá.

Continuamos o caminho até a escola com o meu filho tagarelando sobre coisas aleatórias (“olha mãe aquela torre que alta!!“, “Mãe você viu aquele passarinho que passou aqui do lado?, “O Pedro* da minha classe tá com febre e faltou na escola.“, “Quem achar um carro vermelho primeiro ganha, ACHEEI!!!!“). E ouvindo a música do trem maluco (mãe, de novo o trem maluco. Agora de novo. E de novo. É a moda do momento, repetir 593847 vezes a mesma música)

Aí, primeira parada: escola do meu filho. Tiro-o de sua cadeirinha, separo sua mochila, dou um beijo de despedida e falo:

EU: Dá tchau pra sua irmã, filho! Fala boa aula pra ela!

FILHO: Tchau irmazinha! Boa aula.

Ele já estava entrando no portão quando olha pra trás e grita sua última recomendação (que na verdade é uma ameaça):

bercario3

E com isso, se vira e entra na escola, saltitando com sua mochila de rodinhas.

Bom, não deixa de ser um bom conselho, né? Afinal, ninguém quer se meter em briga logo no primeiro dia…

(Fim da parte 1)

__________________________________

* os nomes foram alterados para a preservar a identidade dos menores de idade.

Advertisements
2

Abracadabra

A nova do meu filho é.. fazer mágica!!

Tudo começou porque em alguma festinha da escola teve um show de mágica. Ele ficou dias falando sobre o tal show e então virou moda aqui em casa ele apresentar seus dons pra gente.

É mais ou menos assim:

magica 1

Obedientes, fechamos os olhos e aguardamos o grande truque enquanto ouvimos seus passinhos apressados se movendo para longe.

magica 2

Aí, ele magicamente esconde o patinho atrás do criado mudo.

(Ou de uma almofada. Ou do sofá. Depende do que estiver mais perto)

magica 3

E por fim ele volta correndo, exultante. Todo orgulhoso de si mesmo.

magica 5

Meu David Copperfield.

2

Mães e Chocolates

Eu acho que deveriam realizar uma pesquisa sobre o aumento no consumo de chocolate após o nascimento dos filhos. Sério. Eu percebi que, depois de virar mãe, a quantidade que eu como praticamente dobrou.

E essa semana, conversando com algumas amigas queridas, descobri que não sou só eu que sofro desse mal.

Então cheguei a conclusão de que na maternidade, às vezes, a necessidade de um doce (em especial o chocolate) é tão grande que se torna quase fisiológica.

Por exemplo. Chega o final de um dia difícil. Um dia difícil mesmo, sabe, daqueles corridos, com milhões de coisas pra fazer, onde o filho passou a tarde mal humorado e reclamando de tudo, a filha não dormiu na hora da soneca então está exausta e chorona, e eu estou estressada e já atingi o meu limite faz algumas horas.

Imagine um final de dia assim.

Essa seria eu:

chocolate 2

Tudo o que eu consigo pensar é: vão pra cama jaaaa! Eu não posso mais ficar nem mais um minuto cuidando de vocês!! Tudo o que eu quero é tomar um bom banho e descansar!! E ainda falta dar janta e banho e pôr pijama em vocês… COMO EU VOU AGUENTAR??? AAAAAAH

(Ok pessoal, por favor, agora sem julgamentos… aposto que todas as mães aqui já tiveram dias desses)

Então. Nessa hora, eu saio pela casa em busca de um chocolate.

Mas tem que ser dos mais gostosos, com maior concentração de cacau possível. Se tiver recheio de licor então, melhor ainda.

Depois de uns dois três, quatro bombons, ou um pequeno enorme pedaço de chocolate, quando eu já consigo sentir o açúcar se dissipando pelo meu corpo, eu volto para sala já sob controle.

E aí, eu estou assim:

chocolate 3

Conclusão: eu como chocolate porque ELES precisam que eu coma. Para ficarmos todos em paz e felizes. Num lar harmonioso e saudável.

4

Estamos andando!

Confesso que estou emocionada de escrever esse post. Parece que foi ontem que eu escrevi o post sobre minha bebê engatinhando… e agora ela já está andando!!

Passou tão tãooo rápido!

Tudo começou há uns dois meses, quando ela deu os primeiros sinais de que queria se locomover em pé. Então ela ia andando se apoiando nos móveis, nas paredes, nos brinquedos. Em qualquer coisa que estivesse no caminho.

Até no irmão.

andando a

Essa fase durou algumas semaninhas…

Depois, ela começou a andar dando a mão.

Essa etapa foi muito engraçada, porque se ela estava no chão e via qualquer pessoa com a mão livre, ela engatinhava até lá, agarrava a mão, se apoiava, e punha-se a andar.

Não importava de quem era a mão. Poderia ser de qualquer um. Da mãe, do pai, dos avós, tios, familiares, amigos, vizinhos, porteiros, vendedores…

ANDANDO 2

Essa fase rendeu boas risadas.

E agora, de uma semana para cá, ela pegou firmeza.

Então ela vai andando com seus passinhos incertos, sem olhar pra trás, como se nada mais importasse no mundo. Independente e determinada.

E eu nem fico comovida…

andando 32

Imagina…

2

A fase Au Au da vida

Aqui em casa minha filha está passando pela fase AU AU. É aquele momento da vida em que qualquer bicho se chama auau. Não importa se é um cachorro, um pato ou um urso feroz.

Se estamos na rua e vemos um cachorro:

auau3

E se estamos na rua e vemos uma pomba:

auau4

Outro dia fomos com as crianças na fazendinha. Achamos que seria bom levarmos a bebê, para tentar ampliar seus horizontes.

Mas não deu muito certo.

auau1

Também tentamos o zoológico. Achei que ver a jaula dos temidos leões ferozes iria ajudar. Mas…

Não foi o caso.

AUAU2

E você? Já passou por essa fase também?

0

De mudança

Olá a todos!!

Post rapidinho só para explicar que não tive tempo de atualizar o blog essa semana porque mudei de apartamento.

Então no meu horário livre eu preciso basicamente desencaixotar, desencaixotar e desencaixotar.

Para então finalmente organizar, organizar e organizar.

Minha casa está mais ou menos assim:

MUDANCA

(E não, as crianças não me ajudam)

Logo logo estaremos de volta =)

2

Todas as nuvens do céu

Era uma tarde ensolarada, de trânsito especialmente carregado. Estávamos voltando da escola, eu dirigindo e meu filho sentado em sua cadeirinha no banco de trás. Os dois em raro silêncio – porque em geral ele volta com a matraca.

Eu já estava começando a estranhar toda essa paz no carro, quando de repente ele pergunta:

nuvens2

EU: Buracos, filho?

FILHO: É.

Hm….

EU: Mas… quem faz esses buracos?

FILHO: Os passarinhos.

nuvens 3

EU: E… como eles fazem?

FILHO: Com o bico oras.

EU: Ah… Mas por que eles fazem esses buracos?

FILHO: Pra ser a gaiola deles. Porque no céu não tem gaiola. Então onde eles vão dormir?

Hm….